01 agosto 2009

reticências



...

Eu gosto das coisas literais. E você me enrola com seus “bla-bla-blás”. Não compreendo sequer uma palavra que você diz, mas me encanta, me encanta. E tudo parece ir cada vez mais devagar, como se cada som demorasse anos luz a chegar. Sua voz nos meus tímpanos.
Deito na cama e seu corpo nu me convida para o abraço. Seu corpo é quente mesmo nas noites mais frias do inverno, e eu gosto disso. Sua pele arrepia com facilidade, e eu gosto fazê-la arrepiar. Minha mão passa devagar nas suas costas e suavemente, levemente os pêlos finos da sua nuca começam a levantar. E eu gosto disso.
O ventilador faz um barulho confortante. Você sempre liga o ventilador, mesmo no inverno, só para ouvir o barulho. E eu me acostumei a essa melodia constante. E à sua respiração no meu pescoço.
Gosto do seu riso. E do seu olhar infantil. E de como você me chama para dividir a cama com você às vezes.
Começo a pensar que gosto muito de ficar ao seu lado.

...



p.s: ... e começa agosto. boa sorte a todos.

4 comentários:

Cláu disse...

Sensual!!!
Várias coisa passaram pela minha cabeça!hehe

bjo

anazézim disse...

na espera de tua ligação, Garibaldi!!!

a verificação da palavra para o meu comentário é deliz, até nisso é quase feliz! quando feliz exato?

Zale disse...

Porra, agosto é um mes irado.

Lorena N. disse...

Ah, adoro textos que falam sobre essas coisas... arrepios, corpos em outros corpos, madrugadas.

Agosto já começou bem. E as coisas tendem a seguir melhor ainda. :)