18 abril 2011

fica


Você gritou FICA. Mas eu não quis ficar. Bati a porta como se batem as portas em novelas mexicanas e embora eu fui. Se prestasse bastante atenção poderia ouvir o som das suas lágrimas caindo no papel da carta que deixei. Sabe? Não era para você lê-la antes de eu ir embora. Assim, fica tudo mais difícil.

Mas mesmo assim, você gritou FICA. Mas eu não fiquei. E você não foi correndo atrás de mim. Você ficou lá, parada, quieta, chorosa, na casa que agora parece tão vazia, tão fria, tão não-minha.

Mas você gritou FICA. E eu pensei em ficar. Mas se eu ficasse, tudo aquilo continuaria a me asfixiar e aos poucos eu morreria e você morreria em mim. Acontece que eu consigo odiar e amar ao mesmo tempo. E eu odeio você com toda a força com que amo você. E nunca poderia permitir que você morresse em mim. Eu não quero morrer em você.

Mas você gritou FICA uma vez. E uma vez só bastou. Você compreendeu que não há mais nada aqui que valha a pena salvar. Não vale a pena chorar pelo que se perdeu. Você ficou, eu não fiquei.

E se fosse ao contrário, se fosse eu quem gritasse FICA, tenho certeza que você também não ficaria.


p.s: you do what you have to do

Um comentário:

anazézim disse...

'mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente?'
só lembrei disto, Annita!!!!