10 maio 2009

platonic



Não sei dizer “oi”, e você me encanta. Finjo que não, mas quando você não está olhando meus olhos encaram você como se quisessem gravar cada centímetro do seu rosto, do seu corpo.
E ouço você, mesmo quando você não está falando. Imagino palavras saindo da sua boca e sendo dirigidas a mim, palavras como “quero” e “você”. Mas você nem sabe que eu estou aqui.
Gosto da sua maneira de andar e das roupas que usa. E gosto do seu sorriso, mesmo quando não é para mim que sorri. E você não tem nem idéia do que eu penso.
Saio às vezes à rua e imagino que é para o nosso encontro, imagino o que posso dizer e o que você dirá. Planejo cada palavra que direi, toques metodicamente planejados na hora certa sem parecer de propósito. Planejo o beijo, o abraço. Mas você nem imagina quem eu sou.
Você me encanta de uma maneira louca, ridícula, infantil. E é assim que eu sou. Louca, ridícula, infantil. Fica comigo?


P.S: Hello?! I´m right here!

4 comentários:

anazézim disse...

purinho.

' a Ana é azeda. disse...

A verdade de hoje é que nem sempre as coisas são devidamente enxergadas!

;*

anazézim disse...

(sorriso largo).
e trate de escrever, orra!

carol disse...

ai o encatamento...
ai o amor...