07 agosto 2010

faláncia


Ok. Estou indo embora. Não precisas nem te levantar da cama. Faço a minha mala, e desapareço da tua frente, assim, como por ato de mágica, como a fumaça do cigarro que agora fumas completamente inconsciente do que acontece. Ok. É assim que queres, é assim que é.
Estou indo embora, e não há nada que possas dizer que me faça mudar de idéia. Cheguei ao meu limite, passamos dos limites de qualquer coisa, de qualquer um, e não há nada mais a ser feito. Não me queres aqui, não me quero aqui. Esse teu ar de indiferença não me afeta mais.
Estou indo embora, ouvistes? Não me peças agora, eu não fico. Ok. Finge que não ouves, finge que não te importas. Continua a fumar teus cigarros que eu vou embora. Saio pela porta e não me verás mais. Estás ouvindo? Não me verás mais.
Estou indo embora agora. Será que pela primeira vez na tua vidinha podes me ouvir? Será que pela primeira vez nessa nossa existência fajuta podes te importar? Nem que seja só um pouquinho? EU-ESTOU-INDO-EMBORA. Ouves?
Já fiz a minha mala, vês? Estou abrindo a porta. Agora a porta está aberta e eu estou indo embora. O que achas disso? E se dou um passo para fora deste apartamento não volto mais. É isso que queres? É isso que realmente queres? Estou indo embora. Te afeta?
Olha, estou indo embora, por que não vens me deter? Se vou embora agora é para sempre. Para sempre é tempo demais, sabes?
Então, estou indo embora agora.
Mas se me chamas de volta, eu volto.



p.s: don´t you let me go, let me go tonight

2 comentários:

MeNiNa Đa Lua disse...

ir embora...
acredito que um dia, sempre_ sempre se vai embora_, mas sempre que eu disse: "estou indo embora", nunca fui, porém, se um dia eu for, não saberei o dizer ou direi: estou indo embora. embolei-me nas palavras o nesse 'ir embora'.

beijo-te...

ps.: confesso que não me lembro onde encontrei você. mas continuo acreditando que por aí..

ana flor disse...

putaqueopraiu que belo texto.
Voltarei. Nem precisa me chamar ;)