21 outubro 2010

blur



Eu sabia onde ficava cada pinta em seu corpo. Eu sabia das cicatrizes e marcas. Eu sabia o tamanho exato do furo no seu queixo. Eu sabia exatamente a sua altura e suas curvas.
Eu reconhecia a cor da sua pele e o seu cabelo bagunçado. Eu sempre reconheci o seu cheiro numa multidão. Eu sempre reconheci o seu jeito de andar e o barulho da sua gargalhada.
Eu sabia de cor que o seu nariz era levemente empinado, e a cor dos seus olhos, e o formato da sua boca...

Era ela! Eu juro que era ela... Era ela? Será que era ela?

...



p.s: do you hold it inside? all your voices and all your choices and all my mechanisms to forget you?


Um comentário:

Diogo Liberano disse...

vc não sabia, vc ainda sabe. e o jogo agora é saber até onde todo este saber se aplica no outro, no seu redor, naquilo tudo sobre o qual você pouco sabe... descubra,